As certezas de um mundo incerto.

by - novembro 07, 2009


"A ausência apaga as pequenas
paixões e fortalece as grandes."
(Jean de La Fontaine)


Estive pensando esses dias sobre o fim das coisas. Cada ciclo que se encerra, cada porta que se fecha, cada amor que é esquecido. Me pergunto o porque de toda essa transitoriedade no mundo. Sei lá, às vezes é bom saber que alguma coisa vai durar mesmo com o tempo, a saudade ou talvez a distância agindo sobre alguma coisa. É bom saber que independente do sol ou da chuva, sempre teremos um porto seguro. Alguns fazem desse porto, Deus, os amigos, a família, alguns fazem de si mesmo.

Para quem faz de Deus, precisa ter um bom entendimento de cada ação que ele promove sobre nós, o que é praticamente impossível, pois não creio que haja um ser humano capaz de entender e aceitar todas as leis de Deus. Para quem faz os amigos, tem ótimos momentos, tem compreensão e cumplicadade, porém, mais cedo ou mais tarde, acaba descobrindo que amizades verdadeiras e duráveis são poucas e, muitas vezes, elas se desgastam diantes de obstáculos como a saudade, a intriga ou a inveja. Para quem faz da família, tem uma ótima opção, pois independente do que o mundo exterior pense ou faça, a família é (na maioria dos casos) a única base que nunca deixa que o outro se afogue num naufrágio, que tem o dever de proteger e cuidar uns dos outros, apesar de nem sempre ser assim. Para quem escolhe a si mesmo, encara um grande desafio de manter-se sensato e equilibrado o tempo todo, o que seria impossível já que só procuramos um porto diante do desequilíbrio e da insensatez, não faria sentido. Para quem faz o mundo como um porto, tem que viver sempre com o medo de se desastres que podem acontecer à qualquer momento, e do jeito que ele anda, isso é cada vez mais frequente.

Meu porto é o céu. Cabe na imensidão, não conhece limites, nos dá todos os dias as cores, as núvens, o sol e nunca pede nada em troca. Faz um espetáculo, mesmo sem ser notado ou reconhecido por isso. Durante o dia, mostra que mesmo com as núvens, é possível ser um sol e iluminar os que estão à sua volta. Durante a noite, mostra que não importa o quão só, ou o quão triste você esteja, sempre vai ter alguém ali brilhando por você, e pode não ser Deus, seus amigos, família ou você mesmo.. às vezes, esse porto não precisa ter nome, endereço ou telefone. Basta que ele exista, e isso já é o suficiente.

Àos portos da minha vida, o meu muito obrigada!

You May Also Like

2 comentários

  1. É mais do essencial ter um porto.
    Um, doi, três...

    Agradeço diuturnamente!

    Um beijo, Querida!

    ResponderExcluir
  2. muito obrigada, de coração! *-*

    e adorei teu texto. também acho super importante ter um porto. e também é legal refletir sobre ele, enquanto escrevemos =)

    um beijo :)

    ResponderExcluir

Não vá embora ainda. Divida algo comigo. E obrigada por chegar até aqui! :)