Fora de órbita.

by - novembro 12, 2009


Não sei definir o meu atual estado de espírito, acho apenas que desviei muito dos meus antigos caminhos. Isso pode até ser bom, porque os mesmos caminhos nos levam sempre aos mesmo lugares, porém, para mim ainda é muito difícil de entender e aceitar estar tão fora de si.
Escrevo tentando preencher ou esvaziar completamente o quase nada que já existe dentro de mim. Minha subjetividade está cada vez mais aflorada, mas parece que tudo o que eu preciso dizer se trancou em algum lugar perdido no meio da confusão que a minha vida está.
E se você folhear uma agenda velha vai ver o tanto de coisa que já viveu, vai rir de histórias que um dia te causaram sofrimento, vai direto nas feridas e vai dizer pra todas elas que dessa vez o remédio funcionou. Não vai chorar e nem se arrepender por algo que fez, mas sim, pelo que deixou de fazer.
Talvez eu pudesse ter escolhido caminhos que me poupariam dessa situação sob a qual me encontro hoje, mas assim como o passado foi escrito e morreu, o que hoje vivo, amanhã morrerá também. Só peço espaço, talvez tempo. Peço que me deixem transitar fora de órbita, me deixem deturpar os meus sentimentos, me deixem, apenas isso. Quero encontrar a paz que há tanto tempo deixou de circundar meus cômodos, e se quando tudo isso acabar, ninguém estiver lá para me esperar, tudo bem. Esse é só mais um dos meus eternos recomeços.


You May Also Like

1 comentários

  1. "Escrevo tentando preencher ou esvaziar completamente o quase nada que já existe dentro de mim. Minha subjetividade está cada vez mais aflorada.."

    Me vi! :O

    ResponderExcluir

Não vá embora ainda. Divida algo comigo. E obrigada por chegar até aqui! :)