Escrever, descrever.

by - janeiro 06, 2010


Todo poeta além de fingidor, é solitário. Tão solitário que não tem nem com quem dividir sua dor, tão solitário que escreve na tentativa de depositar todo o seu drama em cada palavra, na tentativa de desabafar com um mero pedaço de papel. Poetas amam demais, são ultra-sensíveis e tem os seus sentidos mais aguçados que o comum. Poetas choram, deliciam-se com a dramaticidade das coisas. Poetas caem, quebram, recompoem-se. Mas poetas também têm esperança e porque não? Poetas são nostálgicos, poetas sentem saudade de tudo, chegam até a sentir falta de coisas que não tiveram, que não viveram, que não sentiram. Poetas são loucos, detestam qualquer parâmetro de normalidade. Poetas adoram desmistificações, adoram explorar a complexidade de cada coisa. Poetas querem o chão, o céu, o ar, a terra, o fogo, tudo e o nada. Poetas escrevem sobre outros poetas, à fim de descrevê-los como à si mesmo, mas no fundo, nenhum poeta sabe muito sobre si. No fundo, cada poeta escreve sobre coisas que imagina ser, imagina acontecer. No fundo, nem todos os poetas são deveras poetas. Talvez seja o meu caso.

You May Also Like

5 comentários

  1. Lindo texto...
    Concordo com a maioria das suas idéias.
    Muito bom :)
    Fica com Deus!
    :*

    ResponderExcluir
  2. Lindo!

    E não seria o caso de nem todos serem sempre poetas? Acho que esse é o meu caso.
    Mas quando me sinto poeta, quando quero poetizar, sentir poesia, suas palavras definem todo o momento...

    ResponderExcluir
  3. cara larissa todos os poetas são ao mesmo tempo o que são e o que desejam ser, na verdade são crianças escondidas sob a mente de um adulto, tambem estes poetas são pessoas que você mesmo descreveu tão bem...
    poeta, uma doce palavra que talvez todos sejam, porem apenas alguns tem a coragem de se revelar
    e viver esta poesia...

    parabens.
    abraços com saudações.

    ResponderExcluir
  4. Vou te fazer mais uma confidência =)

    Estou adorando o seu cantinho, é como eu havia falando lá no começo, adorei sua escrita, a maneira como vc capta as coisas e transmite, mas ta parecendo muito "lugar comum" o que eu estou dizendo, rs, mas são sei dizer o que sinto, talvez eu seja mesmo um fingidor e solitário, ou talvez nem poeta seja, mas me fez bem seu texto, gostei muito!

    Um grande abraço,
    Geraldo.

    ResponderExcluir

Obrigada por chegar até aqui. Não vá embora sem dividir algo comigo.