E você, como se chama?

by - setembro 12, 2010


A dor recorreu a sabedoria para perguntar o que ela deveria fazer para tirar o amor da sua vida, pois seu amigo sofrimento havia dito que ele era perigoso. A sabedoria respondeu que ela deveria apostar no tempo. Carregada de melancolia, a dor foi falar com o tempo e pedir para que ele a ajudasse a tirar o amor da vida dela. O tempo respondeu que não era possível, pois sua função era ensinar e não curar. Decepcionada, a dor foi embora disposta a livrar-se de qualquer coisa que pudesse fazer o amor entrar na sua vida. No caminho, a dor encontrou a amizade e desabou sobre seus ombros implorando por ajuda. A amizade enxugou suas lágrimas e disse a ela que de nada adiantaria matar o amor, pois isso não a faria esquecê-lo... A luta da dor foi se estendendo por entre as esquinas da solidão cruzada com a angústia. Foi passando por cada beco imundo e escuro, foi ouvindo histórias de sofrimento que a dor pôde conhecer quem de fato era ela. No final da trajetória, parada diante de um jardim, cara a cara com o amor, com o rosto enxuto e um olhar calmo ela havia descoberto que, na verdade, dor nunca havia sido seu nome. Seu problema chamava-se medo, e ele acabou assim que ela entrou no jardim e percebeu que ia tirar de sua vida a única coisa que poderia fazê-la verdadeiramente feliz.
Ela sorriu e disse: "Prazer, me chamo alegria..."

You May Also Like

2 comentários

  1. Nossa, eu quase choro agora. Perfeito!
    Adorei a parte do tempo, quer dizer, eu gostei de tudo! SHAHSIUHAIUHSIA'
    Medo de amar, porque poderemos sentir dor e sofrer, e então nos refugiamos e não vai adiantar.. Um dia ele vai nos tocar, vai se apresentar e então o medo vai sumir e vamos simplismente aproveitar.. *-*

    ResponderExcluir
  2. Amor e alegria: combinação perfeita! Tudo de ruim fica pra trás!

    =*)

    ResponderExcluir

Obrigada por chegar até aqui. Não vá embora sem dividir algo comigo.