Retrato da memória

by - março 12, 2011

Hoje eu me vi num quadro do passado. Foi como se num passe de mágica me fosse permitido voltar no tempo e ter de volta um pouco do que a maturidade vem me tirando. É muito bom saber que diante daquele quadro você pode ser você mesma, não precisa temer nada ou ninguém, porque sempre haverá proteção por todos os lados. Uma proteção que não prende, mas respeita. Uma proteção que cuida, acalma, aconchega. Uma proteção que faz falta mesmo que de vez em quando a teimosia custe a admitir. É bom, é clichê, é simples.
Dentro desse quadro moram pessoas completamente diferentes, sentimentos completamente diferentes, vidas que se reúnem pra despejar no outro a ausência que sobra dentro de si. Essas gentes cheias de gestos nobres nos cobrem com um lençol de silêncio, nos guardam da chuva e das lágrimas, agem como se não fosse permitido existir o sofrimento.
Infelizmente, a vida real acontece fora do quadro. Mas ele continua lá, pendurado na parede do coração, como forma de lembrar todos os dias que a gente é parte dele, que ele olha por nós e que no dia em que a barra ficar pesada, a gente sabe que pode se esconder por lá. Que a barra nunca pese a ponto de exigir fuga imediata, mas que haja sempre a esperança de um refúgio nos dias ríspidos da realidade. Que haja amor, que haja vida.

QUE SEJA DOCE.

You May Also Like

2 comentários

  1. (...) sempre a esperança de um refúgio...".

    AMÉM! :)

    ResponderExcluir
  2. Renata disse:
    Eu revivo momentos e tenho quase certeza que revivo sozinha.Os outros parecem dispersados no presente pensando no futuro.
    Mas enfim,li seu texto e fiquei feliz por saber que você pensa,assim como eu,que o intocável passado é bom de ser lembrado,pois é a melhor fuga para se reencontrar em sua própria história. Adorei,mais uma vez,suas palavras!

    *Ficamos muito felizes por você fazer parte do MENTIRAS SINCERAS! Adoramos seu UNIVERSO PARALELO! Foi bom ter encontrado aqui tanta afinidade com o nosso mundo.
    BjOs!

    ResponderExcluir

Não vá embora sem deixar sua marca no meu universo.