Como outra menina qualquer.

by - abril 20, 2011


Ela assistia aos filmes procurando um pouco dela em cada uma daquelas mulheres. A confiança, os olhos sorridentes, o equilíbrio e a falta dele. Sonhava em ser uma daquelas garotas que via nas letras de músicas, determinadas e tão interessantes que se tornavam musas inspiradoras de homens tolos, porém, gênios. Andava pelo mundo olhando com curiosidade cada detalhe, mas esquecia dos detalhes de si mesma. Não tinha um grande amor nem pelo que chorar, não tinha uma coleção de sapatos e vivia com cara de quem acordou atrasada com algo urgente pra fazer. Quase nunca se permitia relaxar, fluir, sossegar. Todos elogiavam sua pele, seu rosto, mas quando se olhava no espelho ela não via nada além de uma garota normal demais para aquele mundo, que não se encaixava e não encontrava seu lugar nele. Ela procurava um diferencial, algo que fizesse os outros olharem para ela e não só verem, mas enxergarem o que quer que ela fosse. Lia, ouvia música, dormia, andava sempre na última poltrona do ônibus observando as gotas de chuva escorrerem pela janela e sonhava, sonhava mais do que qualquer outra pessoa que já tivesse vivido. Viajava só nos pensamentos, sorria de dentro pra fora, mas precisava forçar uma garota diferente pra ser aceita. Porque seria estranho demais pras pessoas aquele cabelo despenteado, aquela imensa vontade de abraçar o mundo com a mão e de ser tão diferente de todo o pouco que ela conhecia. Aquela imensa alegria em desligar-se do mundo e penetrar na própria realidade. Por um minuto, deliciar-se com a vida que havia pensado para si mesma, bem longe daquela montanha de afazeres chatos e inadiáveis com os quais tinha que conviver. Talvez ela já fosse bem diferente, simplesmente pelo fato de procurar ser.
Assim, os dias passam correndo sem que, no entanto, ela corra por eles. Ela continua devagar, concentrada nos seus pensamentos e divagando por entre as esquinas da rotina. Equilibrando-se entre o que pode e o que deve ser feito, entre seu coração tão pequeno e o mundo tão vasto. Hoje o dia amanheceu diferente. E ela também. Hoje tudo o que ela clamou foi poder libertar-se de si mesma.

You May Also Like

1 comentários

  1. "Hoje o dia amanheceu diferente. E ela também."
    Nossa que lindo, me identifiquei com esse texto, como sempre arrebentando com o blog, parabéns flor. Feliz Páscoa. Bjs

    ResponderExcluir

Não vá embora sem deixar sua marca no meu universo.