Seja amável com seu passado.

by - dezembro 28, 2011

De vez em quando, o passado bate à porta. De vez em quando, ele arromba, escancara, invade e não quer nem saber. Nosso passado respousa tranquilamente num dos poços e gavetas da nossa memória, adormece num sono profundo, que raras vezes é perturbado. Mas quando isso acontece, parece que o passado vira presente e volta com toda a força pra nos atormentar, pra nos fazer sonhar, nos encher de esperança ou sei lá, ressucitar e nos perturbar, balançar nossas estruturas.
Pois é, seu passado pode ser muita coisa. Pode ser o seu primeiro amor. Suas amigas antigas. Um bairro, uma casa. Sua infância. Um momento que você guarda com carinho. A vida que ficou pra trás, ou tudo isso junto. E, de repente, imagine que ele desperte do sono e resolva te fazer uma visita surpresa. É muita emoção pra pouco coração, diga-se de passagem.
Hoje me peguei lembrando do passado. Um passado que há muito eu não remexia, estava todo empoeirado, esquecido nas esquinas do tempo, coitado. Um passado que já doeu, mas hoje não dói. Um passado que me apertava tanto, mas tanto, que transformava tudo o que eu era em um poço de lágrimas e arrependimento. Esse passado continua vivo, não só dentro de mim. Esse passado anda pelas ruas, come, respira, fala, esbanja seu charme e também lembra de mim. Eu sei que sim. Talvez com menos ternura e menos frequência do que eu, mas sei que sim.
Querendo ou não, nosso passado vive com a gente. Respira com a gente. Ama com a gente. Ele é parte do que somos e do que nos tornaremos, ele é a maturidade que temos ou não temos, ele é degrau fundamental na escada da vida. E, se me permitem, por mais que algumas vezes a gente deseje de todo o coração poder reviver um pouco do que se foi, ou voltar e fazer diferente, é muito boa a segurança de um passado. De saber que está guardado a 7 chaves e que ninguém precisa saber. Não fazemos alardes das nossas dores ou dos nossos sorrisos. É muito bom saber que hoje você é capaz de rir das situações que antes você chorava. Como é bom saber que não dói mais, que não machuca, que a ferida curou, apesar de ter deixado cicatriz. Como é bom.
Hoje resolvi pensar no meu passado, e me peguei sorrindo à toa. Me peguei fazendo planos, relembrando quem eu era e sentindo um pouco de saudade. Mas tudo isso sem culpa.
Resolvi compartilhar com vocês algo que aprendi pensando nele, nesse passado: é maravilhoso não sentir culpa ou vergonha do que se foi, é maravilhoso saber que os dias são outros e mais maravilhoso é poder relembrar e sorrir do seu passado sem a mesma culpa ou vergonha. Porque nós somos um pouco de passado. E sentir essa vergonha ou essa culpa com relação a ele, é admitir sentir as mesmas coisas com relação a si mesmo.
Sejamos livres para aprender com o passado, para gostar e sentir saudade dele. Sejamos livres para não condená-lo, para não aprisioná-lo, para saber pensar nele como algo doce. Sejamos livres para construir novos passados. Sejamos livres, pois também somos o passado de alguém e também queremos ser lembrados com sorrisos e bons momentos.

Que o seu passado escancare a porta da sua vida, da sua memória e do seu coração, pelo menos uma vez na vida. E que você possa recebê-lo como uma boa visita, conversar com ele e sentir-se como você se sentia na época em que ele era presente. Que você possa dizer "vá com Deus" e guardá-lo novamente em algum lugar dentro de você. Que você possa voltar a sorrir. Que não haja culpa. Que não haja rancor. Que haja amor. E muita saudade. Sempre.

E pra terminar, Shakespeare falará melhor do que eu:
"Lamentar uma dor passada, no presente, é criar outra dor e sofrer novamente."

You May Also Like

2 comentários

  1. Lindo...
    falar do que passou nem sempre é fácil mesmo, mas por mais difícil que seja temos que aprender a olhar para trás e ver a beleza de tudo que já se foi, porque o que fizemos, ou deixamos de fazer, sempre vai fazer parte da nossa história, por mais que consigamos fazer algo diferente as decisões que tomamos sempre vão estar ai e se erramos em algo ou não, no presente já não importa, temos que conviver com nossas decisões e aceita-las de coração, aceitar o que já passou, relembrar e seguir em frente, criando novas memórias, consertando os erros e vez ou outra olhando para trás para ver de onde viemos e o que nos tornou o hoje somos...

    E delícia Laris é ta aqui lendo as coisas lindas que vc escreve! Alias vc nem imagina como é importante pra mim saber que vc tb aprecia as coisas que eu escrevo (:
    EEEE sim parei de roer unha kkkkkkkkk mas é aquela coisa tem dias que tenho que amarrar minhas mãos, pq senão não me responsabilizo pelo resultado kkkkk E vamos pro Paraguay fazer compras em 2012 viu? HUASHUA ;p
    Bjs qrida!

    Ahhhh e falando em 2012.. tudo de melhor pra vc nesse novo ano que vem vindo viu? Também espero que vc consiga realizar todos os seus sonhos! E sempre esteja aqui no blog pra contar tudo pra gnt :))

    :*

    ResponderExcluir
  2. oi, Lari.
    Bem, como já estou te chamando de LAri tb, fique a vontade para me chamar de Verô, sem problemas! :D

    Duas coisas sobre suas declarações acima: Culpa é SEMPRE demais, nenhum ser humano a merece. Já o passado é o contrário, na minha opinião, não só o merecemos como somos "feitos" dele, e repensá-lo de maneira a fortificar-se, ainda mais nesta época sensível do ano, é um dom. Parabéns!

    Adorei tudo! E já me adianto em dizer que a Parte III da Saga já está disponível... Muito obrigada por reservar um pedacinho do seu tempo em ler a história e dividir comigo o quanto se identifica. Acredito que para nós, meros blogueiros sentimentais, isto é super gratificante, né?!!!

    Grande Beijo!
    :)

    ResponderExcluir

Obrigada por chegar até aqui. Não vá embora sem dividir algo comigo.