Novo você

by - maio 15, 2012

Eu não devia estar escrevendo sobre você. Eu sequer deveria estar escrevendo. Queria poder, ao menos dessa vez, deixar de lado essa minha mania tola de racionalizar tudo, de tentar botar sentimento no papel e fingir entender tão perfeitamente quanto se entende que dois e dois são quatro.
Mas é que apesar de não dever, eu senti vontade, depois de tanto tempo, de falar. E isso, meu amigo, é algo que há tempos eu não sentia. Não estou aqui pra falar de amor, paixão, amizade ou qualquer coisa do tipo. Não vou rotular nada. Só quero dizer que as pessoas despertam em nós coisas boas. Coisas que a gente pensava não ter, ou ter esquecido, ou não ser capaz. E por mais que a gente duvide, ainda existem pessoas que fazem a diferença, que lhe dão vontade de sorrir, seguir em frente, admirar a lua. Tem gente que faz tudo parecer mais fácil, mesmo quando não dá pra entender nada do que acontece.
Tem gente que te tira da bolha, da realidade, de si mesmo. E te faz descobrir que é muito importante essa saída. Gosto quando descubro coisas boas nos outros. Quando uma amiga me liga pra contar algo que aconteceu com ela e me faz sentir importante. Quando estou andando na rua com um amigo e ele me coloca pro lado da calçada, pra não ficar perto dos carros, pra me proteger; e de quebra, me faz sentir amada. Quando minha mãe sai de casa com mil problemas pra resolver e, ainda assim, quando volta, traz meu salgado preferido e um abraço apertado.
É dessas pessoas que eu estou falando. O Você da primeira linha do texto é um você de pouca data, mas que parece ter chegado pra ficar. É um você que eu não sei se é pessoa ou sentimento, se veio pra abrir ou fechar alguma porta, se veio pra tirar dúvidas ou fazer mais perguntas, mas que veio. Um você bom de ter por perto. Um você que agora também sou eu, porque faz parte de mim. Um você que agora é nós. Um você por completo. Tudo o que faltava. Um você que, se alguém quer mesmo saber, é o você da autolibertação.

You May Also Like

0 comentários

Não vá embora ainda. Divida algo comigo. E obrigada por chegar até aqui! :)