Os primeiros

by - agosto 15, 2012


Dia desses andei pensando sobre a importância dos primeiros na nossa vida. O primeiro beijo, primeiro amor, primeiro salário, primeiro carro, primeira viagem sozinha. Os primeiros são um tipo de sinal que o tempo dá, uma forma de dizer que a gente começou mais uma fase. Talvez por esse motivo, por ser encarado como um novo início, os primeiros sejam tão valorizados. E isso vai além da abstração. Ser o primeiro da turma, o primeiro filho, o primeiro no esporte são títulos que nos fazem sentir quase que como os vencedores, merecedores de honras e homenagens.
E foi aí que parei pensar sobre a importância e o significado dos meus primeiros, em específico.  E dos primeiros que ainda virão. E vejo que, de fato, o que os torna tão especiais é somente uma coisa: a sensação de renovação que temos ao fazer alguma coisa pela primeira vez. Como se a gente pudesse reiniciar a vida a cada atitude nova, materializando o desejo de ser sempre alguém novo.
Sabe, os meus primeiros, obviamente, possuem sua importância, mas eu posso dizer que aprendi muito mais com os segundos, terceiros, quartos... Os primeiros te dão o impulso, mas todos os outros é que te ensinam a caminhar. Por isso a gente planeja tanto “os primeiros”, porque a gente quer poder escolher e prever o caminho a ser trilhado, esquecendo que o que o moldará serão as nossas atitudes diante de tudo o que aparece na nossa frente. Um exemplo prático? A primeira decepção não define sua atitude, o que define é a forma como você reage ao que te decepcionou.
Vejo com doçura quem saber honrar a importância não só dos primeiros, mas de todos os outros números que se digladiam a todo instante buscando um pouco de espaço na nossa memória e coração. Comigo eles têm todo o espaço. Nunca fui a primeira em nada além da lista de chamada da escola, mas já devo ter feito a diferença na vida de alguém, alguma vez. E para isso, não necessariamente fui a primeira. O que importa, na verdade, não é o seu número, mas o peso que você coloca nele. As primeiras sensações são ótimas, nos fazem sentir vivos, mas não há nada melhor do que ter a certeza de muitos outros passos, amores, beijos, viagens e atitudes em nossa vida.
Dêem uma chance ao segundo lugar e também ao último, afinal, se bem me lembro do ditado: os últimos serão os primeiros.

You May Also Like

1 comentários

  1. Eu lembro do seu primeiro beijo... hahaha... Tá amiga, não vou entrar nessa questão de novo!

    Parabéns pelo blog! Parabéns pelo texto! Espero que você ainda tenha muitas primeiras sensações... porque o bom da vida é isso... a renovação!

    ResponderExcluir

Não vá embora ainda. Divida algo comigo. E obrigada por chegar até aqui! :)