De tanto em tão pouco

by - abril 04, 2013

De tanto olhar para os lados, para o jeito como os outros caminham, esquecemos de olhar para frente. De tanto olhar para trás, na tentativa de enxergar as próprias pegadas, tropeçamos no futuro que se anuncia enquanto estamos distraídos. De tanto nos lamentarmos, com os olhos cheios de lágrimas, enxergamos disforme a alegria que deveria ser nossa. De tanto sonharmos com outros mundos, esquecemos que é nosso e que depende da gente esse daqui. De tanto insistirmos em impor a nossa visão das coisas, esbarramos no direito do outro de também se impor a nós. De tanto exercitarmos a intolerância, incitamos que ela seja passada adiante. De tanto correr, caímos. De tanto gritar, ficamos sem voz. De tanto deixar pra lá, acabamos também sendo deixados. De tanto pisarmos nos outros, somos esmagados.

De tanto em tanto, tudo parece tão pouco.
O único tanto deve ser o da vida, que, de tanto em tanto, vira morte.
E a morte, de tanto em tanto, é quem vem anunciar o quanto é valiosa aquela; a vida.


You May Also Like

0 comentários

Obrigada por chegar até aqui. Não vá embora sem dividir algo comigo.